domingo, 29 de dezembro de 2013

E eu tô curando a ferida.

Contagem, 29 de dezembro de 2013.

Querida Vida,
Estava aqui colocando a casa em ordem, dando comida as cachorras, pensando que tenho que limpar o chão da cozinha porque ele está imundo, sentindo preguiça de limpar o chão da cozinha porque ele está imundo demais e talvez a preguiça me fez pensar em você, pensar em tudo que a gente passou nesse ano, e em tudo que nós esperávamos para esse ano.
Eu não sou muito boa para analisar as coisas enquanto elas estão acontecendo, talvez não seja boa de forma nenhuma para analisar as coisas, mas me sinto mais confortável depois que acabam. Esse ano foi um ano de mais términos que começos. Mais não do que sim. Mais contas que dinheiro. Mais nostalgia que expectativas. Sabemos que isso é culpa sua, minha cara Vida, sabemos que você poderia muito bem ter me ajudado ser menos depressiva, ou deprimente. Errrr, mas você preferiu que tudo fosse um fuzuê pra poder entreter os anjos, os arcanjos, Deus e a galera toda que mora nas nuvens.
Esse ano o Miguel aprendeu a ler e isso me fez feliz,fez minha mãe feliz,minha irmã ficou feliz, a galera toda comemorou, Samuel foi o menos contente (porque agora o Mi sabe ler o que ele escreve no computador,celular etc etcc, e isso me deixa mais feliz ainda porque adoro eles gritando um com o outro).
Viaje pra casa da minha vó, eu não ia lá a uns 4 anos e fui a atração da festa, e descobri como pode ser ruim uma família tão grande, além de não ter sobrado docinho da festa da vovó, eu tive que abraçar gente demais, gente que eu nem conhecia.
Briguei loucamente com minha mãe esse ano, genteeeeee, foi difícil.
Amei, é depois de anos eu amei de novo, ainda amo pra falar a verdade. Ou não amo? Não sei, sei que ela não quis pagar pra ver, não quis pular de cabeça, não quis ser só minha. Ela tava mais interessada em ser de ninguém, o que eu admiraria se fossemos amigas, o problema é que ela tem aqueles olhos, aquela boca que foi desenhadinha por encomenda pra ela e aquela língua presa de ladinho, Vida, me conta como que eu não iria querer pra mim? Eu gosto de gente retardada num nível absurdo e ela é no meu ritmo, parece que equalizaram igualzinho. Eu sinto saudades, muito mais que ela imagina, mas eu sei que passa, eventualmente.
O CRUZEIRÃO É CAMPEÃO, ai gente,que felicidade!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Voce foi bem legal comigo nessa parte, pintei o braço com tatuagem de mano vidlok, afinal é TRI!!!!!!!!!!! Os frangos podem falar o que quiserem e terão apenas meu silêncio. Na verdade fiquei sabendo que eles tão garrados na Raja,então não vão chegar pra me enxer.
Formei na faculdade,ulrrul,felicidade,alegria, vamos gozar de prazer e amor,pera, NÃO TO VENDO VANTAGEM NISSO, cadê emprego?To falando que foi um ano de mais finais que começos, espero que 2014 comece junto com um emprego legal.
A primeira voltou, não por minha causa, voltou porque quis voltar. Claro que eu vi ela, claro que a gente brigou, claro que fiquei com saudades, claro que dei pra ela o meu melhor abraço de saudade,claro que senti a maior saudade do Brasil.

O ano acabou com um fim de semana delicioso com gente deliciosa. Ooooook, nem todo mundo era tão gostoso assim, mas fiquei feliz. Agora nesse momento eu só não to feliz porque ainda não limpei o chão da cozinha e queria saber escrever bonito e não sei, alem disso eu não sei usar vírgulas, e alem disso minha mãe não tem orgulho dessa minha deficiência. E eu não sei o que vou fazer na virada do ano. 

Um comentário:

Priscila Helena de Souza disse...

E eu só querendo saber quem era o "não gostoso"...